A primeira vez que ouvi falar de StayCation foi através de uma blogueira sul-coreana. Com a pandemia global, ela se viu impossibilitada de viajar e gerar conteúdo para seu canal do YouTube de viagens.  Como solução, ela começou a se hospedar em hotéis de sua cidade, e explorar seus diferentes bairros. Isso que chamam de StayCation (férias dentro de sua cidade).

Quando vi, achei de uma baboseira sem limites. Porque raios pagar para se hospedar numa casa que não é a sua, a poucos quilômetros de  sua moradia? Não é mais fácil pegar um uber e ficar batendo perna no bairro o dia todo?

Tenho que dar a mão para a palmatória dessa vez: é muito bacana.

Principalmente se você mora numa grande metrópole, e eu moro em uma das maiores do mundo (São Paulo), demora uma vida toda para você descobrir todos os cantos e encantos (as vezes nem tanto) dessa megalópole.

Vou tentar aqui explicar porque esse tal de StayCation é bacana, e realmente não é uma pernada de dia inteiro num bairro diferente.

Na pandemia, eu me vi obrigada a ficar confinada no meu apartamento compacto, e sem poder fazer o que mais amo , que é viajar.

Qual é a forma segura para você e para os outros, de sair de sua zona de conforto e não se contaminar?

É você pegando e dirigindo seu carro, e ficar sozinha num apto alugado ou quarto de hotel.

Há tempos, eu comprei uma apartamento de 20 m2 para investimento, e em vez de alugar por um preço baixo, estou usufruindo um pouco.

É o mesmo preparativo de uma viagem: malinha, muda de roupa, shampoo e condicionador e os artefactos tecnológicos.

Tem aquele friozinho na barriga de ver o local pela primeira vez, falar com os porteiros que não te conhecem ainda, cruzar com caras novas no hall e na entrada. 

Você desfaz sua mala e começa a incorporar seus itens para ficar mais aconchegante. Eu sou dessas que tiro as roupas da mala se vou ficar mais de uma noite no local.

Dai você sai para dar uma caminhada. Reconhecimento do local. Descobre uma padaria interessante, uma lojinha descolada de roupa, um supermercado diferentão. Um restaurante que vale a pena bisbilhotar mais tarde.

As pessoas daquele bairro parecem diferente das pessoas do seu bairro. Têm outro humor, outra vibe, outra pegada. Geralmente nessa pandemia já pegamos um pouco de ranço de nossos vizinhos, e gente nova sempre é bom de ver.

Nesse dia, acordei cedo, fui tomar café da manhã num lugar mineiro com café coado e pão de queijo da serra da canastra. Andei mais de 7 quilômetros e cheguei à rua João Moura, cheio de restarauntes modernosos, e cafeterias lindas, parece que eu estava em outro país. Entrei numa loja de decoração e fiquei papeando por uma hora com a dona da loja, falando sobre resorts, viagens e o bairro.

Entrei numa doceria encantadora, que me lembrava muito a Magnolia Bakery de NY, mas muito mais charmosa, e pedi o bolo mais lindo que vi, sem saber o gosto.

Finalmente fui na feirinha da Benedito Calixto, que deve estar na minha lista há anos.

No final do dia, fui no supermercado da mesma marca que vou há anos (mas lá é diferente também) e pedi um Ifood diferentão que não tem no meu bairro.

Fui dormir gostoso, acordei no dia seguinte, fui tomar café numa padaria francesa, arrumei minhas coisas e voltei pra casa. Sabe aquela sensação de fds perdido, inútil? Não foi o que aconteceu neste.

Acontece que quando você vai pernoitar num lugar, acaba fazendo as coisas com mais calma e sem roteiro definido. O que a vida lhe trouxer, você aceita.

Talvez se eu tivesse só de dia no lugar, tivesse parado num estacionamento que fecha as 18 hs e não daria corda para o bate papo incrível que eu tive com a dona daquela loja. Talvez eu não tivesse parado naquela doceria charmosa esc ondidinha porque não iria andar tanto e com tanta calma.

Quando você vai para dormir em um lugar, aproveita como ele é de noite, quando amanhece, o entardecer. Como é o por do sol ali? Que tipo de pessoas frequenta aquele espaço?

Pretendo ficar uns 2 meses conhecendo o bairro e ainda não vou conseguir conhecer todas as lojas, experimentar todos os cafés e se perder e se encontrar em todas as ruelas.

E ainda tem tanto bairro diferente para ir em São Paulo: Liberdade, Consolação, Bexiga, Paulista, Centro, Higienópolis, Tatuapé, Santana, Cantareira….

Em épocas de pandemia, StayCation é a palavra da vez. Recomendo fortemente. Não precisa blogar nem vlogar. Escolha um Airbnb, ou um hotel mesmo, e vai fundo.